União dos Surdos do Brasil diz que ainda não ouviu proposta do governo para inclusão da classe

560
In this Saturday, June 20, 2015, photo, Robert Grund, Pyongyang representative of the World Federation of the Deaf and the city’s only full-time deaf foreign resident, communicates through the use of sign language during an interview in Pyongyang, North Korea. In a country with zero kindergartens specifically for the deaf, Grund wants to help establish the first in North Korea’s capital, Pyongyang, a city of roughly 2.5 million. (AP Photo/Wong Maye-E)

A USB (União dos Surdos do Brasil) veio a público hoje (18) para fazer, via nota oficial, duras críticas ao governo.

O presidente da USB declarou que, apesar da primeira dama ser grande defensora dos direitos dos surdos, ele ainda não ouviu nenhuma proposta feita pelo governo para garantir uma maior inclusão da classe na sociedade brasileira.

Não podemos viver às custas de um governo que não ouve o que temos a dizer, sabemos que existem prioridades, mas se houve tempo para que a associação brasileiras dos cegos fosse vista pelo governo, há tempo pra que sejamos ouvidos. – Declarou, em libras, o presidente da entidade

Fontes do governo disseram que tentaram contato várias vezes via whatsapp com os membros da entidade, mas que não foram atendidos.