Porta-voz de Bolsonaro é indicado ao Nobel da Paz por não mandar jornalista da Folha tomar no c*

22344

Não é de hoje a implicância de certos veículos de imprensa com o presidente Jair Bolsonaro e membros de seu governo.

O presidente, Jair Bolsonaro (PSL), cancelou de última hora uma agenda que manteria na tarde desta segunda-feira (29) com o ministro de Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le.

Dessa vez, durante entrevista coletiva concedida pelo porta-voz oficial da presidência da República, um jornalista da Folha de São Paulo questionou se o presidente estava cortando o cabelo em horário de expediente.

O General Otávio do Rêgo Barros, o porta-voz, de forma bem educada e elegante – como já é de costume de sua postura – respondeu o jornalista.

“COM RELAÇÃO À CORTAR O CABELO, O PRESIDENTE COMEÇA A TRABALHAR QUATRO HORAS DA MANHÃ E TERMINA SEU TRABALHO MEIA NOITE. HÁ QUE SE ADMITIR QUE EM ALGUM MOMENTO, DAS QUATRO ÀS MEIA NOITE, ELE ENCONTRAR A POSSIBILIDADE DE CORTAR O SEU CABELO.”

Qualquer um teria mandado o jornalista “tomar no c*” naquele momento. A resposta de forma categórica, rendeu ao porta-voz a indicação ao prêmio Nobel da Paz.