MP diz que aprovação da prisão domiciliar para mães de deficientes beneficia mães de deputados da esquerda

52

A Câmara dos deputados aprovou ontem (29) a alteração no código penal que garante a prisão domiciliar para mulheres grávidas e mães de pessoas com deficiência.

A medida foi fortemente criticada e ganhou uma menção do próprio Ministério Público que declarou em nota que se trata de uma clara “Tentativa de beneficiar mães de esquerdistas”

Depois que a OMS declarou que o uso irrestrito de termos como #elenão, sou resistência, foi golpe, Lula Livre, sou Ciro e Moro sempre foi político são sintomas de deficiência, políticos de esquerda que usualmente culpam terceiros pelos seus crimes (como é o caso do ex-presidente Lula culpando a ex-primeira dama) passaram a se mobilizar internamente para proteger a família.

A medida é vista com crítica pela população e pela direita no congresso nacional.